Os marcos de vida não são mais os mesmos. Ou porque fazer 30 anos não significa absolutamente nada.

Em dois meses em faço 30 anos. 30 fucking anos.
E o que eu penso que vai acontecer quando eu fizer 30 anos? NADA.
Exatamente isso. NADA.

É tipo virada de ano. Nada muda, gente.

“Ai Lívia, que chatice, logo tu que sempre adorou o ano novo”. Sim, e ainda adoro. Mas acho que, especialmente porque esse ano não celebrei (tava voando) é que me convenci de que NADA MUDA…A MENOS QUE VOCÊ MUDE.

Fazer 30 anos tem a mesma lógica. 31, 39 ou 69 também.

Os grandes marcos de vida costumam nos fazer repensar as escolhas, olhar com um maior cuidado o que aconteceu para trás e a nossa lista de “coisas a fazer”.

Mas já experimentou pensar nisso tudo com 29? Ou AGORA, seja a idade que você tiver.

Cada vez mais a gente percebe que uma data na carteira de identidade diz menos sobre você do que o seu carrinho do supermercado.

Não é a idade física. É o que a gente sente em relação às mudanças.

Tem gente que leva na boa.
Tem gente que surta.
Tem gente que quer a casa própria, dois filhos e um cachorro antes dos 30.
Tem gente que quer brincar de War no Tinder e conquistar 24 territórios à sua escolha.

Mas tudo bem se você não fizer nada disso. Sério mesmo, tá tudo bem.
Não tem linha de chegada. Pódio. Champagne pros campeões.
A linha de chegada é todos os dias, ali quando a gente vê um cachorrinho fofo, quando a tua irmã te conta uma coisa engraçada, quando tua melhor amiga manda vídeo do teu afilhado fazendo zoeira.

O pódio é o ser feliz na vida e ter gente que te ame.

E não tem limite de idade pra isso. Nem regra.

Então não tenta se encaixar naqueles textos que te dizem “30 coisas para fazer antes dos 30”, ou “30 sinais de que você já tem 30 anos”.

Os teus sinais não são os meus sinais.

Eu posso estar tentando ter uma alimentação mais saudável, porque tô sentindo que o corpo pede. Mas também posso tomar uma garrafa de vinho sozinha no sábado porque…porque…porque eu posso, porra, eu tenho quase 30 anos!

Entende?

Não tem regra. Não tem modelo. Vida não vem com manual de instruções.

E se no fundo do teu eu, tu ainda te pega pensando que já tem 30, até conhecer alguém 31, até ir morar junto 32, até ter filho 33, preciso correr e etc – Rachel Style – APENAS PARE.

E questione aos amigos homens:

vocês também repensam tudo isso quando o relógio biológico marca 3.0?
I don’t think so!
(exceto meu ex, ele dizia que TINHA que ser pai antes dos 30. Eu dizia que queria ter filhos depois dos 30. Eu tinha 3 anos a menos que ele. CALCULE e encontre a resposta para o problema).

Enfim, minha intenção com esse texto não era incitar o ódio ao patriarcado (mas desculpaê, as palavras são vivas e às vezes se escrevem sozinhas).

Todo esse textão era só pra dizer que PAREM DE FAZER TEXTÃO SOBRE O QUE TEM QUE TER QUANDO SE FAZ 30 ANOS.

Apenas façam. Não requer experiência prévia nem proficiência.

E não deixem ninguém ditar regras sobre como vocês deveriam se comportar com 30 anos. Isso serve inclusive pra mim. Podem ignorar esse texto, se quiserem. Sério mesmo. Esquece que leu. Ou não.

Anúncios

Um comentário sobre “Os marcos de vida não são mais os mesmos. Ou porque fazer 30 anos não significa absolutamente nada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s